Como Saber o Tamanho da Sua Dívida

como sair das dívidas

Como Saber o Tamanho da Sua Dívida

Pode parecer obvio demais o título deste artigo, como saber o tamanho da sua dívida. Afinal, quem não saberia somar todas as suas dívidas para saber seu tamanho. Ainda assim te pergunto; você sabe exatamente quanto deve?

Você pode pensar; pra que vou ter esse trabalhão? A princípio vai parecer inútil e trabalhoso demais, além de não ter objetivo aparente. Afinal, você sabe que deve pra alguém, sabe mais ou menos o valor e parece que isso basta. Mas, se você chegou até aqui é por que, assim como eu, algo te incomoda. Estar devedor, com o nome sujo e sem controle passou a ser ruim. Eu sinto até um pouco de vergonha.

A sacada do por que vêm agora.

Fazer este levantamento vai te dar uma sensação boa. Algo como: Minha situação incomoda, mas estou fazendo algo. Não estou deprimido e me lamentando, chorando pelos cantos. Reclamar não vai pagar nenhuma conta.

Também, ter uma visão clara da sua situação de devedor vai mostrar que você pode não estar tão ruim quanto pensava, ou ao contrário, que a situação é pior do que pensava. Eu estou neste último caso.

Então, vamos ao trabalho!

Saber o quanto estamos devendo é relativamente simples. Eu fiz assim:

  1. Peguei uma folha sulfite e um lápis. Pode ser um caderno também, mas acho que a folha de sulfite vai te dar mais liberdade.

  2. Separe uma folha pra cada credor. Credor é a empresa pra quem você deve, quem te emprestou dinheiro (banco, cartão de crédito, financiamento, carne, parente, etc).

  3. Vou usar meu caso como exemplo. Eu devo para dois bancos, uma operadora de cartão de crédito e um empréstimo familiar. Portanto, tenho 4 credores.

  4. Na primeira folha eu preenchi no topo o nome do Banco 1. Na outra Banco 2, sendo estes o nome dos banco onde devo. Depois escrevi o nome do cartão de crédito e, por fim, o nome do parente para qual devo.

  5. Anote os seguintes dados:

    1. Total de parcelas deste empréstimo: em quantas parcelar você vai pagar o que deve?

    2. Parcelas a serem pagas: Subtraia do total de parcelas deste empréstimo quantas parcelas já pagou até agora.

    3. Valor da parcela com juros: Depois que o banco soma os juros dele na parcela, você têm o valor de cada parcela. Em outros artigos vou falar mais sobre juros. Agora basta que você saiba o quanto a entidade disse que você vai ter que pagar de parcela.

    4. Valor total com juros: multiplica o valor da parcela com juros pela quantidade de parcelas a serem pagas.

No meu caso ficou assim:

Folha 1: Banco 1

> Total de parcelas deste empréstimo: 48
> Parcelas a serem pagas: 48 (não paguei nem a primeira)
> Valor da parcela com juros: R$ 556,86
> Valor total com juros: R$ 26.729,28
Observação: peguei emprestado R$ 6.920,37. Já vi esses valores muitas vezes. Me assusto em todas elas.

Folha 1: Banco 2

> Total de parcelas deste empréstimo: 48
> Parcelas a serem pagas: 48 (não paguei nem a primeira)
> Valor da parcela com juros: R$ 200,62
> Valor total com juros: R$ 9.629,76

Folha 1: Cartão de crédito

> Total de parcelas deste empréstimo: 4 (Cancelei o cartão e renegociei o saldo)
> Parcelas a serem pagas: 4
> Valor da parcela com juros: R$ 350,00
> Valor total com juros: R$ 1.400,00

Folha 1: Empréstimo familiar

> Total de parcelas deste empréstimo: 24
> Parcelas a serem pagas: 20
> Valor da parcela com juros: R$ 600,00
> Valor total com juros: R$ 14.400,00

A partir destes  números temos algumas revelações que, pelo menos pra mim, são assustadoras.

Todos os meses eu “dou” R$ 1.707,48 pra empresas e pessoas e me pergunto; pra comprar o que mesmo? Por que fiz essa dívida? Claro que se eu for buscar a fundo eu vou achar onde foi parar o dinheiro. Mas posso te dizer sem medo de errar. O nó na garganta que sinto em não poder levar minha família ao cinema sem precisar pegar um novo empréstimo, não vale a pena. Seja lá o que comprei, e dívida que fiz pra isso, não paga essa tristeza.

Pode parecer um drama ou exagero. Mas quer pior? E se algum deles adoecer? Não sei vocês, mas aquele nó na garganta volta só de pensar. Desculpem o devaneio, mas tão importante quanto saber o tamanho da sua dívida é saber o por que não fazê-las mais. Vou falar mais sobre isso em outro artigos

O meu objetivo aqui é lhes mostrar como saber o tamanho de nossa dívida e com isso lhes dar uma noção de como gastamos nosso rico dinheirinho de forma errada.

Certeza que vamos levar um susto. Mas vai ser bom. Assim podemos fechar com um pensamento; o que poderiamos comprar se guardássemos o que gastamos em juros? Agora é a sua vez de agir. Pegue papel e caneta agora e faça sua parte.

Comente o que achou. Compartilhe com seus amigos. Será um prazer lhes dar atenção.

Abraço e sucesso financeiro.

Adriano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *